quarta-feira, 18 de julho de 2018

Efeméride: Carlos Alberto Santos

Faz hoje 85 anos que nasceu, 18 de julho de 1933, o autor Carlos Alberto Santos.
Capa desenhada por Carlos Alberto


Carlos Alberto Santos faleceu em 1 de novembro de 2016

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Pantera Negra nº 1

Foi uma coleção de 10 números com periodicidade mensal, dirigida por Roussado Pinto.
A revista tinha 36 páginas, dimensões 185 x 270 mm, e custava 15$00.
Apesar de ter durado pouco tempo, publicou banda desenhada de interesse, onde se realçam alguns episódios desenhados por José Ortiz da série Grandes Mitos do Oeste, tendo surgido logo no primeiro número, em junho de 1977, um desses episódios.

Neste número inicial apareciam ainda um episódio da série inglesa Paul Temple e uma história curta desenhada por Al Williamson.

sábado, 14 de julho de 2018

Rostos da História de Portugal (8)

Navegadores
No século XIV forma muitos os navegadores portugueses ou que passaram por Portugal

Bartolomeu Dias
(1450? – 1500)
Foi o primeiro europeu a passar pelo extremo sul de África do oceano Atlântico para o oceano Índico

Baptista Mendes em Por mares nunca antes navegados

Jarry e O cabo das tormentas

Diogo Cão
(1440? – 1486?)
Explorou a costa ocidental africana, estabelecendo relações com o reino do Congo

Baptista Mendes  em Diogo Cão

Vitor Peon em A 1ª viagem de Diogo Cão

Fernão de Magalhães
(1750-1521)
Navegador português que iniciou a primeira viagem de circum-navegação do planeta. Morreu durante a viagem nas Filipinas.

Guido Buzzelli em A primeira volta ao mundo

Fernando Jorge Costa em Fernão de Magalhães

Gal em Oncle Paul

Vitor Peon em A primeira volta ao mundo

Gil Eanes
Passou além do cabo Bojador. Desconhece-se a data de nascimento e da morte.

Baptista Mendes em O Infante D. Henrique

Baptista Mendes em O primeiro inventor dos descobrimentos

Bixa em O infante das descobertas

João Gonçalves Zarco
(1390? – 1471)
Responsável pela identificação e povoamento da ilha da Madeira


José Garcês em A Grande Aventura

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Relendo...ao acaso: John Carter de Marte

Episódio
A morte tem três cabeças

Série
John Carter de Marte

Autores
Desenho: Noly Zamora e Vicatan
Argumento: Bob Kanigher

Dados sobre o episódio
Leitura: Mundo de Aventuras 209 (II fase)
Data de edição: 29 de setembro de 1977
5 páginas p/b
 
Resumo
John Carter encontra uma gigantesca esmeralda dentro da qual se encontra uma mulher. Incapaz de com a sua espada quebrar a joia, recorre à força de um monstro.
Atingido o seu objetivo e libertada a mulher os dois permanecem juntos.

quarta-feira, 11 de julho de 2018

Efeméride: Dan Barry

Faz hoje 95 anos que nasceu, 11 de julho de 1923, o desenhador Dan Barry
Vinheta de Flash Gordon, desenhada por Dan Barry

Dan Barry faleceu em 25 de janeiro de 1997

segunda-feira, 9 de julho de 2018

Frederic Joubert

Um táxi no inferno, da série Frederic Joubert, com texto de H. Filippini e desenhos de C. Rossi foi publicado em Portugal no Jornal da BD entre os números 161 e 168
Joubert, por ter recebido uma herança, não precisa de trabalhar, no entanto continua a conduzir o seu táxi.
Um passageiro morre no seu veículo. Frederic resolve investigar a vítima mas, a viúva, depois de ter falado com ela, é encontrada morta.  

Frederic e a sua companheira tentam deslindar o crime, mas a investigação leva-o a colocar a vida em risco.

sábado, 7 de julho de 2018

Humberto Delgado

Humberto Delgado nasceu em 15 de maio de 1906. Foi militar e protagonizou a oposição ao ditador Salazar, atitude que conduziria à sua morte.
Foi um apoiante do golpe militar de 28 de maio de 1926, que permitiu a chegada de Salazar ao poder, tendo inicialmente sido simpatizante da política oficial do regime.
A sua estadia nos Estados Unidos entre 1952 e 1957 mudaria as suas posições políticas de modo radical, de forma que, em 1958, se apresentou como candidato à presidência da república, contra o candidato oficial do regime, Américo Tomás.
A sua frase relativa a Salazar, “Obviamente demito-o”, acirraria ainda mais os ânimos contra si por parte da Policia Política, fazendo, no entanto, com que ganhasse um enorme apoio popular.
Após a derrota, na sequência de fraude eleitoral, nas eleições de 1959, acabou por se exilar no Brasil.
Após o seu regresso ao território europeu, foi atraído a uma armadilha junto da fronteira entre Portugal e Espanha, sendo assassinado por agentes da PIDE.

O processo de oposição ao regime por parte de Humberto Delgado foi retratado por José Ruy na obra Humberto Delgado – O general sem medo.